terça-feira, 28 de outubro de 2008

Our Way

Quanto tempo faz? Quantas horas se passaram? Quantas vidas? Quantas mortes? O que mudou? O que ficou no lugar? Quantas separações? Quantas celebrações de felicidade? Quantos abraços? Quantos gestos de adeus? O que é proeminente? O que jaz?

Quanto tempo ainda nos resta desde a última vez? Será que a ampulheta da sorte ainda espera por nós? Ou será que não nos resta mais nada, a não ser fechar a porta, virar as costas e continuar a trilhar a estrada? Será que a chuva cairá sobre nós? Será que o sol nos queimará até que terminemos de caminhar? Será que eu preciso de ajuda? E se você gritar, eu vou escutar? Depende de quão longe você estará...

Hoje eu li suas cartas. E eu pude ler além das palavras. E pude perceber que tudo é tão relativo. Pude ter certeza que, o que você viu nos meus olhos foi apenas uma fagulha de tudo o que eu queria sentir. Tenho mais medo agora é de não viver. Tenho me permitido mais. Acho que isso é bom...Desmascarei o superficial, pra vir à tona o essencial. Mas, será que isso tudo ainda faz sentido?

Tudo vai ficar no seu lugar. Eu sei. Nunca mais vou te encontrar. Você pode me ler? Escrevo em vermelho. Quero que essas palavras se percam no cosmos. São irrelevantes. Palavras ao vento. Ao sabor do vento... sem sentimento, sem envolvimento, sem discernimento. Mas, ei! Peraí. Não vá embora assim, não sem um último beijo. Não sem um primeiro último beijo. Consegue sentir a brisa a entranhar os poros? Eu sinto... Fica. Segura a minha mão?


"Tão forte como você era carrego você
Estou vendo que você respira pela última vez
Uma canção para seu coração
Mas quando ele está tranquilo sei o que significa
Se ela tivesse asas ela voaria para longe
E algum outro dia
Deus lhe dará.
Problema é o único caminho para a tristeza.

Eu vou levar você para casa"

No player: Carry your home - James Blunt

16 comentários:

Jullyane disse...

Pode deixar que convido vc pro casório sim, viu? Vou fazer aquele auê, hehehe! Mas dá tempo de vc se preparar pq é só daqui a dois anos... Beijos e o selo foi merecido!

Madame Mim disse...

Acabei de comentar em um blog que daria tudo para ter cinco anos da minha vida de volta.
bjos

o blog é esse aqui : www.muitodenada.blogspot.com

Jullyane disse...

Afff, pois eu quero é férias! Djá! Precisoooo mesmo! Trabalho já tenho um monte! Beeeeeijos!

Fernanda disse...

Aí, aí. Essa vida.

sandra gale disse...

Dangeli, de tudo acredito que nada será como antes, como ja disse a canção e que...

que ainda seremos felizes
que nossos herdeiros conquistarão as coisas que não conseguimos por falta de tempo ou oportunidade
e que a vida sempre sorrirá num breve espaço de beijar e amar
e que aquela brisa leve que arrepia a alma ainda será sempre uma constante em nossos corações!

saudades de tu amiga linda!

Anônimo disse...

"Eu vou levar você para casa".

Só suspiro suave e fico com suas palavras dentro de mim.

Grande beijo.

Beth/Lilás disse...

Hummmmm, tá inspiradona, heim menina!
Deve er sido a chuvinha fresca, né! haha
bjs cariocas

Candy disse...

Se a pessoa vai ler eu nao sei. MAs que ela sente... ah, isso ela sente!!!

*"Hoje eu li suas cartas. E eu pude ler além das palavras", essa frase foi tããããooo a cara do meu blog.
hehehe

to de voltaaa, viu?
=*

Robson disse...

Nossa entendo esse texto na alma...
Bj linda Michell

Michele Moura disse...

Eu sonho todas as noites e com todo tipo de coisas. Só há um sonho com o qual não consigo me acostumar: aquele do qual falei.

Que lindo este teu texto: tão delicado e ao mesmo tempo tão profundo. :)

Jéssica disse...

se tu reformulasse esse texto, daria uma música ótima! hahaha

são tantas perguntas...

adorei =)

lara disse...

Muito massa o texto! Amei! Amei mesmo! Lindo! Vou salvar aqui no pc.
beijo

Mari* disse...

é, estamos cheias de perguntas e com um pedido de "fica" entranhado...
adorei.

Beijo

Mari* disse...

obs: ainda não tinha te linkado ¬¬
acabei de fazer isso =)

muito além do arco íris disse...

Aquilo que provamos quando estamos apaixonados talvez seja o nosso estado normal.
O amor mostra ao homem como é que ele deveria ser sempre.

Anton Tchekhov

Beth/Lilás disse...

Oi, garotinhaa!
Estou indicando teu blog à leitura de outros amigos.
Dá uma olhadinha lá no meu pedaço, ok.
bjs cariocas